Polícia prende jovem suspeito de gerenciar tráfico em conjunto na Zona Centro-Sul de Manaus

Jovem de 19 é suspeito de gerenciar tráfico em conjunto na Zona Sul de Manaus, diz polícia (Foto: Ive Rylo/ G1 AM) Jovem de 19 é suspeito de gerenciar tráfico em conjunto na Zona Sul de Manaus, diz polícia (Foto: Ive Rylo/ G1 AM)


Jovem de 19 é suspeito de gerenciar tráfico em conjunto na Zona Sul de Manaus, diz polícia (Foto: Ive Rylo/ G1 AM)

Um jovem de 19 anos foi preso suspeito de gerenciar o tráfico de drogas no conjunto Shangrila, Zona Centro Sul de Manaus. Após ser pego, Davyd Washynton Cortesão de Área Leão teria informado para a polícia o local onde outro gerente de facção agia dentro do conjunto. Ao chegar no local, houve troca de tiros e Gean Santos da Silva de 18 anos, conhecido como “G12”, morreu no local.

Davyd foi preso tarde desta terça-feira (14), durante operação “Exodos”, deflagrada por policiais do 23º Distrito Integrado de Polícia (Dip), na última sexta-feira (10). Segundo a polícia, com o jovem foi encontrado, um revólver calibre 38, 29 porções de entorpecente e R$ 30 em espécie.

De acordo com a delegada Deborah Souza do 23º Dip, Davyd atuava como gerente de uma facção criminosa que comercializa drogas no conjunto Shangrilá, bairro Parque 10 de Novembro.

Ela afirmou ainda que a área conhecida como Lagoinha, na rua B e imediações – dentro do mesmo conjunto – era gerenciada por Gean Santos da Silva de 18 anos, conhecido como “G12”, pertencente à mesma facção.

“Davyd sabia de toda a situação que acontecia na lagoinha. Ele sabia que ‘G12’ era gerente na área. Tinha conhecimento do armamento que estava lá e da comercialização que ocorria na localidade”, apontou a delegada.

Após Davyd supostamente informar a localização de “G12”, a polícia seguiu até o local e foi recebida a tiros.

“Ao chegar no local o cidadão atirou contra a equipe que reagiu a situação efetuou um disparo que levou a óbito o Gean”, disse a delegada.

Outros dois homens que estavam junto a “G12” conseguiram fugir. Durante apresentação Davyd negou ser integrante da facção e disse que é apenas usuário de drogas. “Não tenho passagem pela polícia. Sou réu primário, pode puxar minha ficha. A droga que encontraram comigo não era minha, era de uma pessoa”, disse o jovem, não revelando o nome do possível dono do entorpecente e da arma.

Contrariado por estar sendo apresentado, ele se negou a dar mais detalhes. “Vão querer tirar selfie também?”, questionou.

Powered by WPeMatico

Antiques

AdSense